sexta-feira, 18 de Novembro de 2011

TIMOR-LESTE VAI DAR 1.5 MILHÕES DE DÓLARES À UNESCO




MSE (EO) - LUSA

Díli, 18 nov (Lusa) - O Parlamento de Timor-Leste aprovou na quinta-feira um financiamento de 1,5 milhões de dólares (1,1 milhões de euros) para a Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO).

"Considerando as dificuldades de financiamento da UNESCO e reconhecendo o apoio que esta instituição tem dado a Timor-Leste, propõe-se a alocução de uma verba de um milhão e quinhentos mil dólares para doação à UNESCO", refere a proposta de aditamento do Orçamento Geral do Estado de 2012, que está a ser discutido no parlamento timorense.

A proposta foi aprovada com 34 votos a favor, cinco contra e 15 abstenções.

A diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova, anunciou a suspensão da execução dos programas desta agência da ONU até ao fim do ano, depois da retirada da contribuição financeira norte-americana devido à admissão da Palestina na organização.

A medida permitirá "uma economia de 35 milhões de dólares" o que, com a utilização de 30 milhões de dólares de um fundo destinado às despesas correntes, cobre o défice de tesouraria estimado este ano em 65 milhões de dólares, declarou a responsável.

Os Estados Unidos anunciaram, no final de outubro, a suspensão total da sua contribuição financeira para a UNESCO, poucas horas após a agência da ONU ter aceitado a Palestina como membro de pleno direito.

A decisão norte-americana priva a agência de 22 por cento do seu orçamento, o que se traduz num buraco de 70 milhões de dólares a partir de 2011, já que os Estados Unidos pagam a sua contribuição habitualmente no fim do ano.

2 comentários:

La simu disse...

Este governo é mesmo uns FsDP! Tanto dinheiro para gastar nessas coisas mas nenhum tostão disponível para indemnizar os timorenses que foram despejados das suas casas! Timor Leste precisa duma revolução para acabar com esta palhaçada do governo da AMP/Banana xanana palhaço gusmao!

Timorense indignado!!

Anónimo disse...

Boa Timor,

Apoiem a Unesco, a Palestina merece ser independente assim como Timor o mereceu em 2002. Os Américas não podem continuar a ser os mandantes deste mundo.
Se a USAID deixa-se de apoiar Timor, só ficaria a ganhar, com a saida de todos os espiões dos projectos da USAID.
Quando os médicos Cubanos entraram em Timor, lembram-se da saída dos espiões dos Peace Corps?? Timor só ficou a ganhar, aqueles rapazitos e rapazinhas só andavam aí pelas montanhas a recolher informação!!

Beijinhos da Querida Lucrécia