segunda-feira, 9 de maio de 2016

Portugal. INAUGURAÇÕES

PARTILHAR


Rui Sá* – Jornal de Notícias, opinião

A Ordem dos Engenheiros considerou, em 2000, que o Parque da Cidade do Porto era uma das "100 obras mais notáveis da Engenharia Portuguesa do século XX". Tendo, posteriormente, solicitado a colocação de uma placa a assinalar esse facto no local. Era eu, nessa altura, o vereador do Ambiente da Câmara do Porto, com a responsabilidade pelo parque. Face a esta iniciativa, e dado que o Parque da Cidade foi um projeto que atravessou diversas vereações, tomei a iniciativa de convidar a estarem presentes os diversos presidentes de Câmara e o vereador Orlando Gaspar que teve um papel crucial na implantação do parque. Uns aceitaram, outros, não podendo estar presentes, apoiaram a iniciativa e outro, manifestamente, não quis estar presente. Fez-se, assim, uma cerimónia singela juntando várias gerações de autarcas que, independentemente das suas discordâncias, tinham contribuído para uma obra de referência de que o Porto e a sua população tanto se orgulham.

Lembrei-me disto a propósito da inauguração do Túnel do Marão, cujos ecos acompanhei pela rádio. E os noticiários abriam com "polémica nos convites", episódio que rapidamente pareceu mais importante do que a obra em si...

Naturalmente esteve bem António Costa em convidar os seus dois antecessores, cujos governos tiveram um papel importante na concretização desta obra. Mas estiveram mal os convidados e até Durão Barroso, que em 2004, abandonou o Governo para satisfazer as suas ambições pessoais (para uma Comissão Europeia que, apesar de presidida por um português tão maltratou Portugal!) e que não resistiu a comentar o assunto.

Esteve mal Sócrates, que continua a "pelar-se" pelas luzes das câmaras televisivas e não resiste a falar quando a sua posição, na iniciativa, exigia mais recato... Esteve mal Passos Coelho ao dizer que nem que fosse primeiro-ministro estaria presente, procurando branquear o azedume que ainda sente por não ser primeiro-ministro - então não é verdade que, mesmo depois de deixar de o ser, foi inaugurar uma escola em Paredes que já estava a funcionar há meses! E esteve mal Durão Barroso, porque procurando fazer crer que só temos obras devido a Bruxelas (e, já agora, só faltou dizer devido a ele próprio...), esquece as obras que ele próprio inaugurou e para cujas inaugurações não convidou a União Europeia.

Esteve mal Passos Coelho ao dizer que nem que fosse primeiro-ministro estaria presente [na inauguração do Túnel do Marão], procurando branquear o azedume que ainda sente por não ser primeiro-ministro

*Engenheiro

PARTILHAR

Author: verified_user

0 comentários: