sábado, 16 de Junho de 2012

Cimeira acontece em contexto pouco positivo devido a crise económica -- Ramos-Horta



MSE (FYRO) - Lusa

Díli, 15 jun (Lusa) - O ex-presidente de Timor-Leste José Ramos-Horta considerou hoje que a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável Rio+20 vai ocorrer num contexto pouco positivo devido à crise económica.

José Ramos-Horta viaja na segunda-feira para o Rio de Janeiro, acompanhando dos vice-ministros da Economia e Desenvolvimento e dos Negócios Estrangeiros, para participar no encontro.

"No contexto da crise que se agrava dia após dia na Europa (...) não vejo como da Cimeira do Rio vão sair novas promessas que tenham a confiança da sociedade civil mundial", afirmou o também Prémio Nobel da Paz.

Ramos-Horta previu que o ambiente no Rio não vai ser nada fácil, salientando que deverá ser mais rancoroso do que, por exemplo, foi o da cimeira sobre alterações climáticas, realizada há dois anos na Copenhaga.

"Vinte anos depois da primeira cimeira do Rio o que é que se alcançou em termos de proteção ambiental, de desenvolvimento sustentável, de redução da pobreza?", questionou.

O antigo presidente timorense disse também que, no Rio de Janeiro, Timor-Leste vai apresentar formas de desenvolvimento sustentável, salvaguardando as zonas florestais, coralífera e mar.

Mais de 100 chefes de Estado e de Governo vão estar reunidos entre 20 e 22 de junho no Rio de Janeiro, sob o patrocínio da ONU, em busca de acordos que levem a um maior compromisso com a preservação ambiental.

A Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável Rio+20 acontece 20 anos após a realização da Cimeira da Terra, que entrou para a história como a mais importante reunião ambiental realizada pelas Nações Unidas.

2 comentários:

Anónimo disse...

O antigo presidente timorense disse também que, no Rio de Janeiro, Timor-Leste vai apresentar formas de desenvolvimento sustentável, salvaguardando as zonas florestais, coralífera e mar.

Caro Dr. Horta,

Timor Leste, tem uma oportunidade de ouro de começar a ser um pais verde, protegendo o seu ambiente, não o deixando degradar. Tem zonas ainda de grande qualidade, só precisa de as proteger.

Beijinhos da Querida Lucrécia

Anónimo disse...

E deve entao proibir construcoes a beira da praia como umque esta ai a caminho da areia branca.