Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

quarta-feira, 8 de junho de 2016

ONU pede calma na Guiné-Bissau face à crise política e morte de veterana da independência



O Representante das Nações Unidas na Guiné-Bissau, Modibo Touré, pediu hoje aos líderes políticos e forças de segurança para "manterem a calma" perante a crise política e a morte da veterana da luta pela independência, Carmen Pereira.

"Neste momento de dor, onde as emoções estão à flor da pele, exortamos o povo da Guiné-Bissau, líderes políticos e forças de segurança a manterem a calma e dignidade", referiu em comunicado.

Aquele responsável, recém-chegado ao país, endereçou "as mais profundas condolências" à família de Carmen Pereira e ao país.

A veterana faleceu no sábado, com 79 anos, vítima de uma indisposição súbita.

O funeral dividiu os dois governos da Guiné-Bissau, um empossado na última semana pelo Presidente da República, José Mário Vaz, e outro, o executivo cessante, que não reconhece a nova equipa.

A família de Carmen Pereira e o Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) anunciaram que as cerimónias fúnebres que hoje decorrem em Bissau foram organizadas pelo governo demitido a 12 de maio.

Vários dos seus membros continuam a ocupar de forma pacífica o Palácio do Governo, na capital, com forças de segurança a impedir entradas e passagem de mantimentos desde domingo.

Entretanto, o PAIGC requereu na sexta-feira ao Supremo Tribunal de Justiça que declare inconstitucional o novo governo, liderado por Baciro Djá, deputado dissidente do partido.

LFO (MB) // PJA - Lusa

Sem comentários: