terça-feira, 24 de agosto de 2021

Política incerta Washington-China prejudica negócios dos EUA

# Publicado em português do Brasil

Política incerta de Washington sobre China prejudica negócios dos EUA, diz Forbes

Nova York, 23 ago (Xinhua) -- A falta de uma agenda clara do governo Biden sobre a política comercial e de investimento em relação à China criou uma incerteza que está prejudicando as empresas norte-americanas, publicou a revista americana Forbes no sábado.

"Antes de ele (Biden) assumir o cargo, muitos de nós, incluindo eu, esperávamos um acalmar de águas e uma redução na tensão bilateral. Em vez disso, o que vimos foi muito pouca mudança na política, especialmente na política comercial, e de fato vimos um aumento nas tensões. E para as empresas, aumentou a incerteza", disse o presidente do Conselho Empresarial EUA-China, Craig Allen, citado pela revista.

As autoridades de Biden estão claramente ocupadas com muitas discussões sobre a China, mas "diferentes agências têm diferentes opiniões" e leva muito tempo para decidir, disse Allen, um diplomata e oficial comercial de longa data dos EUA, no 3º Fórum de Negócios EUA-China organizado online pela Forbes China sob o tema "Reconstruir o Ímpeto".

As tarifas continuam a representar desafios e as restrições às viagens relacionadas com a pandemia exacerbaram as tensões políticas e os obstáculos operacionais; ao mesmo tempo, "as tensões comerciais resultaram em danos à reputação das empresas norte-americanas, vendas perdidas, mudanças de fornecedores e maior escrutínio por parte dos reguladores nos Estados Unidos e na China", de acordo com uma pesquisa realizada no início deste mês pelo Conselho Empresarial EUA -China com seus membros.

"O nível de incerteza é muito alto até que nosso governo nos diga quais são suas intenções", disse Allen, expressando sua esperança de que as negociações comerciais entre os Estados Unidos e a China sejam retomadas o mais breve possível.

Referindo-se às recentes iniciativas legislativas dos EUA em relação à China, Allen observou que nenhuma delas foi conducente à melhoria das relações bilaterais, o que, juntamente com a diplomacia responsiva da China, está tornando as negociações "um lugar muito ruim".

Instando os dois lados a conduzirem "boas negociações", Allen disse que boas negociações "com dar e receber no lado comercial podem ser uma medida de construção de confiança para ajudar a resolver problemas maiores nas relações bilaterais EUA-China".

portuguese.xinhuanet.com

Sem comentários:

DESTAQUE

Chega "esconde" propósitos fascistas do seu programa

Chega "eclipsa" destruição da escola pública e do SNS do seu programa Quase dois anos depois de Ventura ter anunciado a "cl...

Mais lidas da semana