sábado, 1 de outubro de 2016

O “CALDINHO” PARA A ELEIÇÃO DO(A) SECRETÁRIO(A) GERAL DA ONU ESTÁ FEITO



Limpinho-limpinho tem sido o percurso e desempenho de António Guterres no processo de eleição para Secretário-Geral da ONU, mas isso não basta.

Hoje Jorge Sampaio disse pelas entre-linhas que o “caldinho” para a eleição da búlgara Kristalina Georgieva está feito mas que espera que não se volte ao “antigamente”. Esse “antigamente” é ter por Secretário-Geral da ONU alguém com capacidades de abanar a cauda aos EUA & associados e a interesses dúbios, tal como o atual japonês naquele cargo tem feito. Ban Ki-Moon tem sido o animal de estimação, concordante e cúmplice das políticas dos interesses dúbios ou declaradamente nocivos para a humanidade, tendo por patronos os EUA & associados. Tanto que ainda há pouco mais de uma semana declarou sem rebuço que o próximo(a) SG da ONU será uma mulher. E vai daí salta da máquina da União Europeia a tal caniche búlgara com licença sem vencimento e a cumplicidade da UE. António Guterres para os interesses instalados e religiosamente cumpridos por Ban Ki-Moon não serve. Tem de ser um caniche com pedigree que saiba abanar a cauda e fazer vénias e não um podengo luso que cumpra as funções rigorosas que estão estabelecidas para a ONU mas que se submetem e anulam em conformidade com outros interesses antagónicos da humanidade.

Até o pano cair nesta cena macabra que uma vez mais desacredita completamente a ONU e os poderes instalados no mundo ocidental, principalmente na UE, vão ser usados estratagemas e esponjas de limpeza que não poderão enganar os cidadãos do mundo. O pano cairá sobre a cena quando a tal caniche búlgara, Kristalina Georgieva, que se presta para a farsa, for eleita. Pese embora ter somente percorrido o processo e percurso da eleição praticamente já em cima da meta. E folgada a atingirá, por vontade de poderes que já nem são ocultos mas sim descarados e vergonhosos. (MM / PG)

ONU: Jorge Sampaio critica falta de neutralidade da União Europeia

O antigo Presidente da República não esconde o seu desagrado com a atitude da Comissão Europeia, que concedeu licença de vencimento à nova candidata a secretária-geral das Nações Unidas.

Jorge Sampaio critica o que chama a falta de neutralidade da Comissão Europeia, a propósito da candidatura de última hora da búlgara Kristalina Georgieva, ao cargo de secretária-geral da ONU.

O antigo Presidente da República, à margem de uma Conferência sobre Saúde foi mais longe e disse mesmo que "neste caso, essa neutralidade não se verificou".

Nas declarações registadas pela SIC, o antigo Presidente da República de Portugal sublinha que a licença sem vencimento de um mês, que Kristalina Georgieva pediu faz supor que a candidatura de última hora já estava a ser preparada há algum tempo.

Até aqui, Kristalina Georgieva, desempenhava o cargo de vice-presidente da Comissão Europeia e responsável pela pasta do orçamento comunitário.

Para Sampaio, a "candidatura portuguesa [de António Guterres] é muito forte" e "devemos manter-nos esperançados e otimistas, já que a candidatura decorre desde o início e tem reunido uma grande aceitação por parte da comunidade internacional, o que só mostra que é uma candidatura à altura".

O antigo Presidente sublinha ainda que espera que a candidatura de António Guterres ao cargo de Secretário-Geral das Nações Unidas não seja posta em causa, com este desenvolvimento.

Sandra Pires – TSF - Foto: Bruno Simões Castanheira/ Global Imagens

Sem comentários: