sexta-feira, 27 de julho de 2018

Robótica: Mais mentiras da elite corrupta

PARTILHAR

Paul Craig Roberts

Durante duas décadas a deslocalização de empregos americanos para a Ásia e o México destruiu as carreiras e rendimentos de dezenas de milhões de cidadãos estado-unidenses, a base fiscal para pensões dos governos estaduais e locais, a base fiscal federal para a Segurança Social e o Medicare e a sociedade de oportunidade que outrora caracterizou os Estados Unidos da América.

A ascensão dos lucros corporativos que resultou da substituição do trabalho americano por trabalho estrangeiro premiou executivos e conselhos de administração corporativos, hedge funds, grandes accionistas e a Wall Street com lucros a expensas da população e da economia dos EUA.

As baixas taxas de crescimento económico afirmadas desde a alegada recuperação da crise financeira de 2008 resultante da desregulamentação financeira, um enorme erro feito por políticos ao serviço da cobiça capitalista, estão baseadas inteiramente na subavaliação da inflação. Alegadamente, os americanos não sofreram inflação durante uma década, mas qualquer um que compre qualquer coisa sabe que isto é uma mentira. O que os empregos deslocalizados fizeram foi destruir o crescimento na produtividade baseado no poder de compra do consumidor que conduzia a economia dos EUA. Em suma, a visão míope de executivos, conselhos de administração e Wall Street prejudicou a procura agregada nos EUA.

O corrupto Federal Reserve [banco central] sob o incompetente Alan Greenspan aumentou a dívida do consumidor para substituir o crescimento em falta do mesmo. Isto funciona até que os consumidores não possam acumular mais qualquer dívida. O presidente posterior do Federal Reserve manteve o castelo de cartas de pé ao bombear milhões de milhões (trillions) de dólares para aumentar os preços de activos financeiros.

Na minha época tal comportamento inadequado do Federal Reserve provavelmente teria sido considerado um crime capital. O presidente do Federal Reserve possivelmente teria sido preso e levado a julgamento. No mínimo ele teria sido forçado a demitir-se por resgatar (bailing out) cinco bancos a expensas da população dos EUA.

Como nada foi feito, hoje temos preços de activos financeiros baseados na impressão de moeda pelo Federal Reserve e seus cúmplices — o banco central japonês, o banco central da UE e o Banco da Inglaterra. A criminalidade financeira é à escala mundial.

Por má que seja a situação, ela está prestes a ficar pior. As mesmas elites egoístas que dizem ao indiferente povo americano que a deslocalização de empregos criaria mais e melhores empregos para americanos estão agora a dizer-lhe a mesma coisa acerca da robótica.

A firma de contabilidade PricewaterhouveCoopers foi contratada por alguém para deitar cá para fora um "estudo" a dizer que os robots criarão mais novos empregos para americanos removidos dos seus empregos do que aqueles que destruirão. Esta mentira será repetida infindavelmente pelos economistas neoliberais e os media financeiros, assim como repetiram infindavelmente que a deslocalização de empregos faria o mesmo.

Tendo perdido empregos profissionais qualificados na manufactura tais como engenharia de software, a robótica ataca os empregos de serviço não transaccionáveis que não podiam ser deslocalizados, embora alguns deles, como enfermagem, pudessem ser preenchidos trazendo enfermeiros com vistos de trabalho sob a falsa afirmação de que haveria uma escassez de enfermeiros americanos. Empregos em serviços domésticos têm sido aproximadamente 90% ou mais dos novos empregos desde que acompanho as estatísticas de emprego, ou seja, desde há muitos anos. Agora, os americanos estão em vias de perder muitos empregos de serviços domésticos em favor dos robots.

Não é necessária a inteligência artificial para que os robôs sejam programados para fazer os serviços domésticos que hoje constituem o grosso dos empregos nos EUA. Além disso, o nível actual de robótica impõe o custo de fazer negócios ao cliente. Se duvida disso, considere sua experiência na última vez que tentou entrar em contacto com um provedor de serviços.

As pessoas estão a ser tornadas irrelevantes. Dentro de pouco tempo, elas nem saberão como conduzir um carro, porque carros autónomos também terão lhes terão retirado essa função. Os despreocupados seres humanos sentar-se-ão nos carros ao terem os seus cérebros lavados pela propaganda vinda dos seus écrans de vídeo. Deixarão de experimentar uma existência humana e, com isso, tornar-se-ão descartáveis.

Além de descartá-los, de que forma livrar-se de milhões de pessoas que não têm empregos que as sustente, pessoas cujo apoio provavelmente será considerado um peso morto a onerar os lucros dos ricos?

A robótica possivelmente não pode funcionar para uma sociedade humana a menos que os meios de produção sejam socializados. Infelizmente, os povos do ocidente estão com os cérebros tão lavados e tão indiferentes que eles são incapazes de revolução.

Você quer ser apagado? Isso é o que o capitalismo americano está a fazer consigo. 

23/Julho/2018

PARTILHAR

Author: verified_user

0 comentários: