sábado, 30 de maio de 2020

Hong Kong | Direitos e liberdades de investidores inalterados com lei de segurança nacional


Direitos e liberdades de investidores internacionais permanecerão inalterados após a legislação de segurança nacional, diz governo da RAEHK

Hong Kong, 29 mai (Xinhua) -- O governo da Região Administrativa Especial de Hong Kong (RAEHK) disse que todos os direitos e liberdades usufruídos pelo povo de Hong Kong e investidores internacionais permanecerão inalterados após a legislação de segurança nacional.

"A grande maioria dos residentes de Hong Kong cumpridores da lei, incluindo investidores estrangeiros, não tem nada a temer", disse um porta-voz do governo da RAEHK em resposta às declarações da Câmara de Comércio dos EUA e da Câmara de Comércio Americana em Hong Kong.

Qualquer mudança unilateral da política dos EUA em relação a Hong Kong criará um impacto negativo nas relações entre os dois lados, além de prejudicar os interesses dos Estados Unidos, disse o porta-voz.

O status especial de Hong Kong sob "um país, dois sistemas" funcionou bem para as empresas de Hong Kong e do exterior que operam aqui, que é a maior força de Hong Kong e permanecerá no futuro, disse o porta-voz.


O porta-voz disse que houve uma séria brecha legal na segurança nacional que deve ser resolvida, especialmente levando em consideração os distúrbios e as violências, assim como o surgimento aparente do terrorismo doméstico em Hong Kong, o que representa uma grande ameaça à segurança nacional.

O porta-voz disse que o princípio "um país, dois sistemas" não será prejudicado e as instituições que sustentam o sucesso de Hong Kong não serão corroídas pela legislação da segurança nacional.

A lei de segurança nacional relacionada terá como alvo os atos e atividades, incluindo secessão, subversão do poder de Estado, organização e realização de atividades terroristas, assim como atividades de forças estrangeiras ou externas de interferir nos assuntos da RAEHK, disse o porta-voz.

Como membro fundador da Organização Mundial do Comércio (OMC) e participante ativo da Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (APEC), Hong Kong continua comprometida com o sistema global de comércio multilateral e baseado em regras e sempre manterá as condições equitativas de concorrência e a política neutra de nacionalidade para as empresas.

As empresas globais valorizam muito a segurança e a estabilidade de uma economia, a fim de fornecer confiança na tomada de decisões sobre onde investir, trabalhar e viver, disse o porta-voz.

A agitação social violenta em Hong Kong no ano passado, que ressurgiu novamente recentemente, teve um impacto severo na confiança das empresas e dos investidores e afetou adversamente a linha de fundo das empresas nos setores como aviação, varejo, turismo e restauração, entre outros, segundo o porta-voz.

Hong Kong e os Estados Unidos têm uma longa história de cooperação mutuamente benéfica nas áreas como comércio, negócios e investimentos, disse o porta-voz.

Mais de 85 mil cidadãos norte-americanos vivem e trabalham em Hong Kong e há laços pessoais muito profundos e amplos nas áreas como educação, artes e cultura, de acordo com o porta-voz.

O superávit comercial dos Estados Unidos com Hong Kong tem sido o maior entre todos os seus parceiros comerciais, totalizando US$ 297 bilhões entre 2009 e 2018, e o investimento direto de Hong Kong nos Estados Unidos apoiou cerca de 210 mil empregos nos Estados Unidos, disse o porta-voz.

Xinhua

Imagem: Um residente assina petição em uma campanha de rua em apoio à legislação de segurança nacional da Região Administrativa Especial de Hong Kong, em Hong Kong, sul da China, em 23 de maio de 2020. (Xinhua/Wu Xiaochu)

Sem comentários: