quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

NOVO DESASTRE PROGRAMADO PARA ÁFRICA!



 Martinho Júnior, Luanda

Ainda ressoam as botas da NATO no exercício “Trident Juncture 2015”, levado a cabo nos solos mediterrânicos da Itália, de Espanha e de Portugal e já se prepara a IIª fase do ataque à Líbia, algo que não é inovador se atendermos às “repetições de ementa” no Médio Oriente.

De facto o “Steadfast Jaguar 2006” que ocorreu em Cabo Verde foi o ensaio-preparatório do engajamento da NATO no Afeganistão… e tem sido sempre assim onde quer que seja, qualquer que seja o cenário e a conjuntura, ao abrigo dos mestres da “Nova Ordem Mundial”, que dá exemplo um pouco por todo o mundo…

As multinacionais do petróleo na sua voragem (não importa que o barril se venda abaixo dos 30 USD), têm agora todos os motivos para que a NATO /AFRICOM ataque de novo a Líbia… não se importando (muito pelo contrário) que com isso esteja a provocar ainda a maior disseminação das“abelhas jihadistas” em direcção ao sul do continente, via AQMI, ou Boko Haram, ou de algo que se possa mais adiante inventar com a ajuda e o financiamento das feudais monarquias arábicas!

Atacando a Líbia, as potências neo coloniais de África (entenda-se sobretudo os Estados Unidos, a FrançAfrique, a Grã Bretanha… a Itália), com essa tácita disseminação, garantem a panóplia de meios ao abrigo do AFRICOM, que fazem a caridade de defender os enjeitados estados africanos, incapazes de por si sós se defenderem deste tipo de ameaças “transfronteiriças” e de “baixa intensidade”.

A hipocrisia avassaladora continua a fazer de África “um corpo inerte onde cada abutre vem depenicar o seu pedaço”, condicionando ao seu jogo até àqueles que, como Angola, colocam a paz como a grande meta a atingir, pois de outro modo será impossível lutar contra o subdesenvolvimento e dar início à imensa saga do renascimento africano!

 Depois do “petróleo para o desenvolvimento”, a “paz republicana” com que Bush nos seus relacionamentos brindou África, o democrata Barack Hussein Obama não teve engenho, nem arte de desencadear por todo o continente programas de “petróleo enquanto excremento do diabo”, a tal ponto que até as iniciativas de paz ficam condicionadas a benevolência do império!

Fotos:
- Abdelhakim Belhaj, recrutado pela CIA no Afeganistão (era de Ronald Reagan), lidera os factores de desestabilização na Líbia, os factores que “justificam” a IIª intervenção NATO/AFRICOM na Líbia;
- Mokhtar Belmokhtar, o líder-traficante do AQMI, que a CIA um dia recrutou também para ser um “freedom fighter” (da era Reagan) no Afeganistão

Sem comentários: