quarta-feira, 25 de março de 2020

Angola | Na saúde, um primeiro mérito para a administração do PR João Lourenço!


Martinho Júnior, Luanda 

O estado angolano não está preparado para enfrentar muitas ameaças e entre elas as do tipo do COVID-19, mas parece que temos uma equipa ministerial que está a começar a assumir uma responsabilidade que histórica e antropologicamente a transcende, por que toda a sociedade angolana está de há décadas afectada e infectada pelo VÍRUS NEOLIBERAL!

Devemos incentivar e reforçar as equipas que em torno da saúde estão a ser criadas no sentido do caminho apto a enfrentar a ameaça (ainda em balanço), por que não devemos esquecer que ao longo do século XXI, outras mais ameaças, em função das profundas alterações climático-ambientais globais, continentais e regionais, irão surgir a curto, médio e longo prazos!

Por outro lado, os espectros neoliberais que advêm dum passado de mais de trinta anos (não só na saúde), os dum costume bárbaro, acintoso e antipatriótico dentro do país, reflectem-se em hospitais, em farmácias e drogarias, em relação a cujo nascimento e gestão muito há por descobrir!...

Esses mercenários que agem em nome do mercado, estão a aproveitar-se para especular preços de produtos básicos como máscaras, álcool, desinfectantes e afins, prejudicando imediatamente as classes mais desfavorecidas, quando todos são afectados pelas contingências desta ameaça, que, é preciso também lembrar, ocorre ao mesmo tempo em que o VÍRUS DO EXCREMENTO DO DIABO actua sobre o preço do barril do petróleo, expondo ainda mais as debilidades do país!

Também por essa razão considero que UMA SAÚDE MERCENÁRIA (CONTINUA) EM NOME DO MERCADO, pelo que um combate ao VÍRUS NEOLIBERAL é imprescindível para adequar o estado e a sociedade angolana, extirpando o cinismo e a hipocrisia que vem detrás e, quantas vezes enquanto fenómeno incentivado a partir das influências e conveniências de classe com fonte no exterior, desde o fucro dos interesses e conveniências do império da hegemonia unipolar!

Preocupa-me que a extirpação do VÍRUS NEOLIBERAL, agora coberto dos circuitos proteccionistas, vá demorar muito mais tempo a extirpar do que a presente ameaça, por que não está sequer a haver, ao nível do estado angolano, uma solidariedade mínima muito mais exigente no âmbito da plataforma já disponível da emergência multipolar!

Assim, para além do relacionamento para com Cuba revolucionária, uma outra abrangência deve ser criada nos relacionamentos internacionais de Angola para com outros países emergentes que integram o multipolarismo, como por exemplo para com a Venezuela Socialista Bolivariana, a Síria, ou o Irão…

Martinho Júnior -- Luanda, 24 de Março de 2020

Relacionado: 
. MERCENÁRIOS ATÉ QUANDO? – I – http://pagina-um.blogspot.com/2007/09/martinho-jnior.html
. HÁ QUE PÔR FIM A “UMA SAÚDE MERCENÁRIA EM NOME DO MERCADO” – https://paginaglobal.blogspot.com/2017/10/ha-que-por-fim-uma-saude-mercenaria-em.html.

Link do estado angolano: http://www.governo.gov.ao/

Sem comentários: