Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

domingo, 19 de junho de 2016

Nomear e nomear mais, menosprezando e desprezando sempre os princípios democráticos, tristeza!


GUINÉ-BISSAU

Abdulai Keita*, opinião

Existem alguns princípios BÊ-Á-BÁ’s da Democracia Parlamentar Representativa sem as quais este tipo de regime não pode funcionar na estabilidade. Pode-se fazer o que quiser.

Um deles é este: o combinado dos três princípios centrais de fidelidade, disciplina e compromissos de lealdade partidários (ou seja, o conjunto dos três princípios do funcionamento partidário nos regimes da Democracia Parlamentar Representativa), a saber: (1) o princípio de fidelidade e disciplina partidárias (a respeitar irrestritamente por todos os militantes de um partido político; (2) o imperativo do respeito irrestrito do princípio dos compromissos programáticos partidários (a respeitar irrestritamente pelo partido representado pela sua direção em exercício em cada período) e; (3) o imperativo do respeito irrestrito dos compromissos assumidos para com assuntos programáticos relevantes do partido (a respeitar por cada um dos militantes responsáveis ou dirigentes dos partidos políticos, investidos em postos de responsabilidade em como eleitos representantes do povo em nome das suas agremiações).

O menosprezo/desrespeito deste conjunto de princípios, por exemplo, via, recurso às jogadas de dissidência; subterfúgio na categoria do deputado independente e tudo mais; criação de arranjos (acordos) e “maiorias absolutas” ex post eleição (ilegais) no Parlamento; criação de Governos de bel-prazer (porque não podendo ser controlados e fiscalizados eficazmente por ninguém), nunca levou ao funcionamento desejado nenhum na Guiné-Bissau. O nosso país conheceu 9 Governos do género no nosso passado bem recente nas V, VI e VII legislaturas. Todos findaram muito mal. Sem nenhum ter cumprido o período governativo visado. O Sr. Soares Sambú sabe bem isto. Participou em alguns (o 1º da VI e o 3º da VII).

Por isso estou muito cético enquanto às possibilidades deste Governo de poder tirar o nosso país na situação em que se encontra já há quase 10 meses neste momento. Pois, em vez de se seguir vias possíveis legais, está-se seguir esta ilegal. Resultante evidentemente desta via do menosprezo/desrespeito antes aludido. Esta que não trará/fará senão, tal como nos casos do nosso passado, mais um feio empurrão no sentido de mais um bocadinho de atraso para o nosso país todo. Grande tristeza!

Obrigado e boa sorte a todos nós bissau-guineenses (Mulheres e Homens).

Que a tranquilidade, paz e estabilidade governativa se instale neste nosso querido país do povo bom, a Guiné-Bissau.

Amizade.    

*Pesquisador Independente e Sociólogo (DEA/ED)

Sem comentários: