quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

PARA QUE SERVE A GRÉCIA




Isaac Rosa – Outras Palavras - Tradução: Antonio Martins

Já podem dormir tranquilos os gregos, porque a Europa não abandonará o país. Preferirá mantê-lo pendurado no abismo, agarrado pelos cabelos e sempre a poucos minutos da quebra total. Mas não permitirá que despenque, porque a Grécia cumpre hoje um papel essencial na Europa. A imagem de um país quebrado, asfixiado, submetido a chantagem, despojado de sua soberania, com a população sofrendo apertos sucessivos e as ruas incendiadas, tem diversas serventias.

Os governantes podem apoiar-se no caso grego para nos convencer de que precisamos nos comportar, fazer as “lições de casa” e pagar a dívida – do contrário, vejam os gregos onde acabaram, por terem cabeça fraca. “Observem o que se passa na Grécia agora mesmo”, dizia Sarkozy aos franceses segunda-feira, e completava: “Quem gostaria que a França estivesse na situação da Grécia?”

Os apóstolos do choque também tiram proveito da situação grega: é um laboratório em condições reais, com os cidadãos como cobaias, para testar até onde se pode liquidar, empobrecer e humilhar um país sem que estourem as costuras. Sim, queimaram edifícios, atiraram pedras, mas a vida segue. A Grécia está sob ruído e fumaça, mas ainda não passou por um levante social. Por isso, seguiremos apertando, para ver até onde aguenta.

Quanto aos cidadãos europeus, a lição os massacra por seu próprio peso: “Olhe para que serve protestar: apenas para quebrar tudo, sem conseguir nada”. “Por que faremos uma greve? Os gregos estão na enésima, e nada”. E, inclusive: “Bem, a reforma trabalhista é dura, mas não estamos tão mal. Pior estão os gregos…”

Não é certo que o plano tenha êxito. Os cortes de direitos e serviços públicos continuam, mas na última votação houve 43 deputados desertores. O premiê-tecnocrata Papademos sua para levar adiante seu plano. E na polícia, começam a surgir agentes que não estão dispostos a continuar reprimindo seus vizinhos, como o sindicato policial que pediu a prisão da Troika [designação cada vez mais frequente para União Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional]. De qualquer forma, a lição para nós deveria ser outra: “Sozinhos, os gregos não podem. Precisam de nossa ajuda”

* Isaac Rosa (Sevilha, 1974) publicou os romances O País do Medo (2010, Planeta) e, ainda sem tradução para o português, La malamemoria (1999), posteriormente reelaborada em Otra maldita novela sobre la guerra civil! (2007), El vano ayer (2004, adaptada para o cinema como La vida en rojo), e La mano invisible (2011)

EUROPA RUMA PARA SEGUNDA RECESSÃO EM APENAS TRÊS ANOS




Correio do Brasil, com agências internacionais - de Londres

A economia da zona do euro está caminhando para sua segunda recessão em apenas três anos, enquanto a União Europeia ficará estagnada, afirmou o escritório da UE nesta quinta-feira, alertando que a região ainda precisa quebrar o ciclo vicioso de dívida. A produção econômica das 17 nações que compartilham o euro irá contrair 0,3% este ano, afirmou a Comissão Europeia em relatório, revertendo a previsão anterior que mostrava crescimento de 0,5% em 2012. A União Europeia, composta pelas 27 nações que geram um quinto da produção global, não registrará crescimento este ano, segundo expectativa da Comissão.

“A UE está pronta para enfrentar um PIB (Produto Interno Bruto) estagnado este ano, e a zona do euro irá sofrer uma pequena recessão”, afirmou a Comissão em seu relatório interino. “Retornos negativos se enrolam entre os fracos devedores soberanos, frágeis mercados financeiros, e uma desaceleração da economia real ainda não parece ter sido quebrada”, acrescentou.

A zona do euro esteve em recessão pela última vez em 2009 em decorrência da crise econômica global, com a economia se contraindo em 4,3 %, na maior retração mundial desde os anos 1930. Uma mistura venenosa de altas dívidas públicas, evaporando a confiança do investidor e dos negócios e aumentando o desemprego, interrompeu uma recuperação de dois anos da crise financeira global, dizem economistas. Apesar dos sinais de estabilização este ano, economistas consultados pela Reuters esperam que o crescimento retorne apenas em 2013.

A inflação para a zona do euro este deve ficar mais próxima do que o Banco Central Europeu (BCE) julgar ser o nível correto para preços estáveis e uma economia saudável: 2,1%, segundo projeção da Comissão. A previsão de crescimento para a zona do euro é ligeiramente mais otimista que a do Fundo Monetário Internacional (FMI), que acredita que a produção na região cairá 0,5 % este ano. Mas ambos concordam que o bloco só apresentará uma modesta recuperação nos últimos meses de 2012.

Timor-Leste: Jornada de 111 dias pela Paz no processo eleitoral




Díli - A Diocese Católica de Díli, com o apoio de estudantes das escolas e universidades, líderes governamentais e partidos políticos, iniciou, esta terça-feira, 21 de Fevereiro, uma jornada de 111 dias pela Paz.

O início foi marcado com uma marcha que se estendeu desde a igreja Ai-Mutin até Lecidere, bem como orações pelas próximas eleições.

A jornada foi organizada pela Comissão da Diocese de Díli para a Justiça e Paz e outros participantes como o Bispo Alberto Ricardo da Silva, a ministra da Solidariedade Social, Maria Domingas, o ministro do Desenvolvimento Económico, João Gonçalves, a embaixadora dos EUA em Timor-Leste, Judith Fergin e o candidato presidencial da FRETILIN, Francisco Guterres.

A marcha da igreja Ai-Mutin começou às 14 horas e terminou no parque de Lesidere, cerca das 18 horas, esta terça-feira. A Jornada pela Paz, iniciada pelo Bispo Ricardo da Silva, terminará a 10 de Junho.

12 pessoas, incluindo o Bispo, a embaixadora dos EUA e os membros do Parlamento Nacional, lançaram 12 pombas para assinalarem as esperanças de paz, unidade e democracia durante as eleições.

«Todos os timorenses vivem num lar, como uma família, desde Tutuala até Oe-Cusse e do Mar do Norte ao Mar do Sul. É por isso que devemos contribuir para que estas eleições sejam bem sucedidas, com calma e unidade, progredindo para encontrar a prosperidade e tornar Timor-Leste mais rico», declarou o Bispo, acrescentando que este processo eleitoral irá marcar uma nova etapa na história do país.

«Timor-Leste deve mostrar ao mundo que tem a capacidade intelectual e espiritual para colocar valores mais elevados nas pessoas e no desenvolvimento nacional», concluiu o Bispo Ricardo da Silva.

(c) PNN Portuguese News Network

Leia mais sobre Timor-Leste - use os símbolos da barra lateral para se ligar aos países lusófonos pretendidos

AVO XAVI SEI VALORIZA LEI PROKLAMASAUN




DÍLI - Tim susesu kandidatura Francisco Xavier do Amaral, Arlindo Marcal hateten, wainhira iha elisaun prezidensial povu fo fiar ba Avo xavi, nia sei valoriza lei proklamasaun nebe’e uluk halao iha tinan 1975.

“Se kandidatu Francisco Xavier do Amaral manan karik, nia hakarak valoriza nafatin lei proklamasaun ne’ebe uluk nia halao iha 1975 katak, iha ne’eba iha liberdade, dezenvolvimentu, ema hotu moris diak,” Arlindo Marcal informa ba STL iha sede bloku proklamador hudi laran, Dili Kinta (23/02).

Vizaun husi kandidatu se manan karik, nia sei implementa no halao buat ne’ebe mak hakerek ona iha konstitusaun kona ba nia knar, sei kria amizade ho nasaun hotu, liu-liu nasaun vizinho hanesan Indonezia ho Australia, no proteje riku soi iha tasi laran no rai maran nomos atu hare ba direitus umanus. Informasaun kompletu iha STL Jornal no STL web, edisaun Sesta (24/2). Jasinta Sequeira/ Natalia Moniz


Eleisaun Prezidensial, Kandidatu Francisco Sei Pasa Ba Segundu Ronde



Suara Timor Lorosae

DÍLI - Kandidatu Prezidenti Republika period 2012-2017, Francisco Xavier do Amaral, fiar a’an sei pasa iha segundu ronde, iha elisaun tinan ne’e.

“Ami hanoin kandidatura Francisco Xavier do Amaral liu iha segundu ronde, tanba ami fiar katak, iha elisaun ne’e sei la iha ema ida mak manan kedas iha primeira ronde ne’e la iha,” hateten Arlindo Marcal, tim susesu husi kandidatura Francisco Xavier do Amaral ba STL iha sede bloku proklamador Hudi Laran, Dili Kinta (23/02).

Francisco Xavier do Amaral hatete Arlindo, hanesan inspirasaun ba ema hotu, tamba ho idade no moras la impede ema atu bele kontribui nafatin ba dezenvolvimentu, maske ho situasaun ne’e maibe nai (red-Francisco Xavier) hakrak motiva nafatin joven sira katak tenki iha espiritu nafatin atu servisu ba iha nasaun ne’e.

Kandidatura Francisco Xavier do Amaral sei partisipa iha debate no mos asina paktu, nebe sei partisipa direitamente iha eventu rua ne’e. Informasaun kompletu iha STL Jornal no STL web, edisaun Sesta (24/2). Jasinta Sequeira/ Natalia Moniz


CPLP esperançada em eleições "tranquilas" em Timor-Leste



Angola Press

Nova Iorque - A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) manifestou-se esperançada na realização das próximas eleições presidenciais e legislativas em Timor-Leste “num ambiente de tranquilidade e segurança, reflectindo a evolução positiva que se tem registado no país nos últimos anos”.

Este sentimento foi transmitido pelo encarregado de negócios da Missão Permanente de Angola junto das Nações Unidas em Nova Iorque, ministro conselheiro António Coelho Ramos da Cruz, quando intervinha, em nome da CPLP - actualmente presidida por Angola - na reunião do Conselho de Segurança sobre Timor Leste.

“A CPLP está confiante na estabilidade política do país, que se tem reflectido na preparação dos partidos políticos para as disputas eleitorais (…), numa atmosfera pacífica exemplar, dos respectivos congressos, e apoia as iniciativas do Governo concernentes à estabilização e reconciliação por via do diálogo institucional”, afirmou o diplomata angolano na sessão assistida pelo presidente timorense, José Ramos-Horta.

Segundo Ramos da Cruz, a CPLP continuará empenhada em prosseguir a excelente colaboração desenvolvida com Timor-Leste para o reforço da estabilidade, consolidação das suas instituições e do crescimento da sua economia.

Discursando na sessão, o Presidente José Ramos-Horta assegurou que Timor-Leste, que este ano comemora o 10º aniversário da sua independência, vai realizar eleições presidenciais e legislativas num ambiente de paz, com a participação de 13 candidatos presidenciais e 24 partidos políticos registados para as legislativas.

Esta afirmação foi corroborada pela representante especial do secretário-geral e chefe da Missão das Nações Unidas em Timor-Leste (UNMIT), Ameerah Haq, que disse haver estabilidade no país que garante a celebração de eleições pacíficas e uma transição ordenada para a formação de um novo Governo.

No seu relatório sobre Timor-Leste, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, recomenda ao Conselho de Segurança a extensão do mandato da UNMIT para até 31 de Dezembro de 2012.

São Tomé e Príncipe: Japão concede ajuda alimentar de 2,4 milhões de euros



MYB - Lusa

São Tomé 23 fev (Lusa) - Os governos são-tomense e japonês assinaram hoje um acordo de ajuda alimentar a São Tomé e Príncipe para 2012 no valor de 2,4 milhões de euros.

O documento foi rubricado pelo ministro são-tomense das Finanças e Cooperação Internacional, Américo Ramos, e pelo embaixador nipónico acreditado no arquipélago, Massao Kobay Ashi.

O Governo manifestou "profunda gratidão" pelo donativo que vai ser vendido às populações e cujo fundo de contrapartida será destinado a financiar obras de carácter social.

"A nossa gratidão é ainda maior neste momento em que o povo japonês está engajado na reconstrução do que foi destruído pelas calamidades registadas no ano transato", disse Américo Ramos, referindo-se ao sismo e tsunami de 11 de março, que deixou entre 12 mil e 20 mil mortos.

"Apesar desse trágico acontecimento não deixou de apoiar os países com dificuldades, como é o caso de São Tomé e Príncipe", acrescentou o ministro são-tomense.

Para o governo, o objetivo da ajuda alimentar japonesa "não traduz apenas a luta contra a penúria ou melhoria da segurança alimentar", mas também "contribuir para o desenvolvimento económico e social do país através de fundo de contrapartida gerado pela venda do arroz a população".

"Desde há vários anos que o Japão oferece a sua assistência para encorajar os esforços de do governo são-tomense na sua difícil luta pelo desenvolvimento económico e social", lembrou Massao Kobay Ashi.

O diplomata sublinhou ainda que essa ajuda alimentar em forma de donativo do arroz destina-se a "responder às necessidades de urgência e da penúria causada pela crise alimentar".

Leia mais sobre São Tomé e Príncipe - use os símbolos da barra lateral para se ligar aos países lusófonos pretendidos

Guiné-Bissau: UE dá mais um milhão de euros para eleições presidenciais



FP - Lusa

Bissau, 23 fev (Lusa) - A União Europeia disponibilizou um milhão de euros para apoiar as eleições presidenciais da Guiné-Bissau, de 18 de março, informou hoje a delegação da instituição em Bissau.

O dinheiro é disponibilizado através do Projeto de Apoio aos Ciclos Eleitorais nos PALOP (Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa) e Timor-Leste.

Recentemente, a União Europeia já tinha apoiado a Comissão Nacional de Eleições (CNE) da Guiné-Bissau com 320 mil euros (210 milhões de francos CFA).

O apoio de um milhão de euros foi aprovado pela União Europeia na passada quarta-feira, segundo um comunicado da delegação em Bissau.

O dinheiro será depositado num fundo gerido pelo PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento) para apoiar as eleições presidenciais.

"Com este importante apoio suplementar, a União Europeia faz mais uma vez a prova do seu compromisso com a paz, a democracia e o estado de direito na Guiné-Bissau. Neste contexto, a União Europeia reitera o seu apelo às instituições, partidos políticos e cidadãos da Guiné-Bissau para que as próximas eleições presidenciais decorram num clima de transparência, de liberdade e de tranquilidade", diz o comunicado.

Na semana passada, a Nigéria e a CEDEAO (Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental) também contribuíram com três milhões de dólares (2,2 milhões de euros) para a realização das eleições presidências.

O presidente da CNE, Desejado Lima da Costa, estimou em quatro milhões de euros o montante necessário para realizar as eleições.

A Guiné-Bissau vai escolher um novo Presidente, na sequência da morte de Malam Bacai Sanhá, em janeiro passado.

Leia mais sobre Guiné-Bissau - use os símbolos da barra lateral para se ligar aos países lusófonos pretendidos

Brasileiros gastam como nunca no exterior desde julho do ano passado



Correio do Brasil - de São Paulo

Os gastos de brasileiros em viagens internacionais chegaram a US$ 1,996 bilhão em janeiro, o maior resultado desde julho do ano passado (US$ 2,230 bilhões). O valor referente ao primeiro mês deste ano superou as despesas registradas em janeiro de 2011, que somaram US$ 1,777 bilhão.

As receitas de estrangeiros em viagens no Brasil chegaram a US$ 661 milhões, em janeiro deste ano, ante US$ 600 milhões do mesmo período de 2011. Com os gastos de brasileiros e as receitas de estrangeiros, a conta de viagens fechou o mês com déficit de US$ 1,335 bilhão.

Déficit

Ainda segundo o BC, o Brasil registrou em janeiro déficit em transações correntes de US$ 7,086 bilhões, conforme relatório divulgado nesta quinta-feira. Economistas consultados pela agência inglesa de notícias Reuters previam um déficit de US$ 6,950 bilhões no mês passado. No acumulado em 12 meses encerrados em janeiro, o déficit em conta corrente do país ficou em 2,17% do Produto Interno Bruto (PIB).

O BC informou ainda que os investimentos estrangeiros diretos no país somaram 5,433 bilhões de dólares em janeiro.

Brasil: Ministério Público exige melhorias na saúde pública para indígenas


Pulsar

O Ministério Público Federal do Acre entrou com uma ação na Justiça Federal por uma política de saúde indígena efetiva. O objetivo é garantir a contratação de profissionais de saúde, obras de saneamento e construção de postos de saúde nas aldeias.

Também exige a aquisição de produtos alimentícios e de higiene pessoal. O objetivo é garantir a integralidade do atendimento dispensado aos quase 16 mil indígenas do Acre.

De acordo com informações do Centro Indigenista Missionário (Cimi), o procurador da República Anselmo Henrique Cordeiro Lopes, autor da ação civil pública, ressalta que historicamente os indígenas passaram de donos do território à situação de marginalizados.

Segundo ele, sofrem preconceito e são ignorados devido a sua pouca força política, já que hoje representam menos de 2% da população acriana. Tal situação coloca os indígenas em situação mais vulnerável frente a agravos de saúde quando comparados com o restante da população.

Recentemente, cerca de 15 crianças indígenas morreram em aldeias no interior do Acre vitimadas por doença até agora desconhecida.

Diante de todos os fatos colhidos em inquéritos civis públicos, o MPF pediu à Justiça que determine a organização dos Distritos Sanitários Especiais Indígenas. Exige ainda a contratação, no prazo de até um ano, de profissionais de saúde com salário compatível com os dos outros profissionais de saúde do governo federal.

Também foi pedido que seja determinada a construção de postos de saúde no prazo de 12 meses em todas as aldeias do Acre definidas nos Planos Distritais de Saúde. (pulsar)

Brasil: Acordo com siderúrgicas visa combater desmatamento e trabalho escravo




As siderúrgicas Sidepar, Iberica e Cosipar assinaram acordos com o Ministério Público Federal (MPF) para regularizar suas atividades no Pará. O objetivo é combater o desmatamento e o trabalho escravo.

As siderúrgicas deverão instalar e manter um banco de dados atualizados e disponíveis sobre a origem do carvão consumido, com detalhes sobre as fontes de suprimento e fornecedores. Além disso, os projetos de reposição florestal das empresas também serão fiscalizados.

Antes da assinatura do acordo, o MPF ajuizou Ações Civis Públicas pedindo a suspensão das atividades e a indisponibilidade dos bens das empresas. Houve um bloqueio de 145 milhões de reais das três siderúrgicas para garantir a recomposição dos danos à floresta amazônica.

As empresas Sidepar, Cosipar e Iberica foram proibidas de adquirir carvão até que toda a matéria-prima florestal fosse fiscalizada pela Secretária Estadual do Meio Ambiente (Sema) e certificada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

As siderúrgicas se comprometeram a comprovar a aquisição de insumos, passando a consumir apenas carvão produzido a partir de fontes ilegais. Seus fornecedores não podem estar na lista suja do trabalho escravo nem na lista de áreas embargadas pelo Ibama.

O MPF do Pará informa que ao aceitarem os compromissos, as empresas obtém a suspensão das ações anteriormente ajuizadas pelo órgão na Justiça Federal de Marabá. Se os acordos forem descumpridos, as siderúrgicas ou a Sema serão multadas. Neste caso, o MPF encaminhará ainda recomendações aos compradores para não mais adquirirem o ferro-gusa das empresas. (pulsar)

Guiné-Bissau: CAMINHO ACIDENTADO ATÉ ÀS PRESIDENCIAIS



Deutsche Welle

A Guiné-Bissau vai escolher o próximo Presidente a 18 de março, depois da morte do anterior Presidente Malam Bacai Sanhá, vítima de doença. Mas até lá as autoridades guineenses terão muitos obstáculos pelo caminho.

Exemplo das dificuldades que o país enfrenta são os confrontos da segunda-feira entre polícias e militares. O governo guineense e a chefia militar minimizaram esses confrontos, que tiveram lugar frente à Comissão Nacional de Eleições (CNE), em Bissau, classificando-os de "um incidente".

Milhares de jovens não vão poder votar

Um grupo de jovens seguiu Ibraima Jaló, candidato a Presidente da República pelo CNA (Congresso Nacional Africano), à CNE, exigindo votar nas eleições, provocando desacatos na rua. Os jovens que se manifestaram afirmavam que pertenciam ao movimento "No misti vota" (nós queremos votar), e protestavam por não poderem votar, visto que as eleições presidenciais foram antecipadas e a CNE alegou que não tem tempo para fazer um novo recenseamento.

A Polícia de Ordem Pública (POP) foi chamada a intervir, dispersando os manifestantes com gás lacrimogéneo, mas pouco depois chegou um primeiro grupo de militares, que insultou e espancou alguns polícias.

CNE queixa-se de falta de dinheiro para preparar o escrutínio

Várias personalidades ligadas à CNE manifestaram repetidamente o seu descontentamento face à falta de meios para realizar as próximas eleições. Também o Primeiro Ministro da Guiné-Bissau, Carlos Gomes Júnior, já viajou a Portugal, onde pediu apoio financeiro para a realização das eleições presidenciais de março. Raimundo Pereira, presidente interino da Guiné-Bissau, também tentou sensibilizar os seus homólogos da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) para a situação da Guiné-Bissau" e conseguiu apoio por parte da Nigéria e da organização regional que contribuíram com três milhões de dólares para a realização das eleições presidências.

União Europeia envia missão de peritos eleitorais

A missão "já está em preparação e chegará em breve ao país", informou a delegação da União Europeia. O objetivo da missão da UE é avaliar as eleições.

O envio desta missão de peritos surge no seguimento de um pedido nesse sentido feito pela CNE.

A União Europeia já enviou missões de observação à Guiné-Bissau, nomeadamente às eleições de 2005, 2008 e 2009.

Autor: António Cascais (com agências) - Edição: António Rocha

Angola: SAVIMBI MORREU HÁ DEZ ANOS



Deutsche Welle

Angola vive em paz há uma década. O silêncio das armas chegou com a morte em combate de Jonas Savimbi, uma figura mítica e controversa homenageada esta quarta-feira (22.02).

Jonas Malheiro Savimbi morreu a 22 de fevereiro de 2002 de arma na mão aos 68 anos de idade na província onde nasceu, Moxico (no leste de Angola), depois de um forte cerco das Forças Armadas Angolanas. Foi guerrilheiro durante mais de 40 anos e fundou em 1966 a UNITA (União Nacional para a Independência Total de Angola), agora o principal partido da oposição angolana.

O desaparecimento de Savimbi conduziu ao fim de uma guerra civil que se prolongou ao longo de 27 anos, que provocou mais de um milhão de mortos, para cima de quatro milhões de deslocados e um número superior a um milhão de mutilados.

Jonas Savimbi foi homenageado esta quarta-feira (22.02) através de um colóquio em Luanda. Com o tema "Dr. Savimbi – uma vida por Angola e pelos angolanos", o colóquio foi encerrado pelo discurso de homenagem do atual líder da UNITA, Isaías Samakuva.

Um líder “lunático, maquiavélico”

Enaltecido por uns e odiado por outros, o ex-líder da UNITA é ainda hoje uma personalidade mítica e controversa.

Nesta altura em que se assinala uma década da morte de Savimbi, o jornalista português Emídio Fernando lançou uma biografia do fundador da UNITA. De acordo com o autor, Savimbi “sempre teve uma ambição desmedida. Era lunático, maquiavélico, com alguns traços de loucura e extremamente ambicioso".

A UNITA atualmente é o maior partido da oposição de Angola, embora ainda viva com algumas crises internas. Emídio Fernando não revê Savimbi na UNITA dos dias de hoje, pois o partido ainda “sofre com os efeitos de Jonas Savimbi porque tem de se recuperar dos muitos anos de guerra que fez”.

Para o jornalista português, Savimbi “teve uma única qualidade: quando fundou a UNITA deu formação aos membros do partido."

Apesar de evidenciar muitos pontos negativos na vida de Jonas Savimbi, Emídio Fernando consegue citar pelo menos um legado positivo para o povo de Angola: "A grande importância, que é a ironia da história, foi o dia da morte [de Savimbi]. Só a partir desse dia Angola começou realmente a viver em paz. Costumo dizer que a segunda independência de Angola foi com a morte de Jonas Savimbi."

Democrata ou homem da Idade Média?

Filho do ex-presidente português Mário Soares, João Soares foi uma das pessoas que mais privou com Jonas Savimbi. Soares considera que a defesa dos princípios democráticos em Angola é um dos grandes legados deixados pelo fundador da UNITA.

Já Pinto de Andrade, dirigente do partido da oposição angolana Bloco Democrático, conheceu Savimbi e disse à DW que havia nele um comportamento da Idade Média.

A luta anti-colonial em vez da medicina

Uma das questões que mais animam hoje os angolanos é a busca de consensos para a construção de um panteão, simbolizando os três líderes da revolução de movimentos angolanos contra o colonialismo, nomeadamente Holden Roberto, da FNLA (Frente Nacional para a Libertação de Angola), Agostinho Neto, primeiro presidente angolano e ex-líder do MPLA (Movimento Popular de Libertação de Angola) e Jonas Savimbi, pela UNITA.

Savimbi pertencia aos “ovimbundu”, o maior grupo étnico de Angola. Era filho de um pastor evangélico e estudou numa escola evangélica. Recebeu da congregação religiosa uma bolsa de estudo para cursar medicina em Portugal, mas nunca chegou a frequentar o curso. É aí que entra em contacto com grupos de luta anti-colonial e por causa das ameaças da polícia política do regime português, a PIDE, fugiu para Suíça onde estudou Ciências Sociais e Políticas. Não se sabe se concluiu o curso.

Autores: Manuel Vieira (Luanda) / Nádia Issufo - Edição: Glória Sousa / António Cascais

Moçambique: Quatro crianças morrem depois de caírem de uma viatura da comitiva do PM




Quatro crianças morreram, no sábado, no distrito de Nacala-Porto, depois de caírem de uma viatura que acompanhava o Primeiro-Ministro, Aires Ali, durante a sua mais recente visita a província de Nampula. Tratam-se de António Amade, Titos João, Afonso João e Watata Muanana, com idades compreendidas entre 10 a 17 anos.

Mesmo tendo conhecimento do sucedido, a comitiva do PM não parou para prestar socorro as vítimas.

As referidas crianças faziam-se transportar num camião, tipo Fretline, de marca Mercedes-Benz com chapa de inscrição MAC 71 – 06, e encontraram morte prematura depois de a viatura que seguia em alta velocidade ter travado bruscamente, tendo sido arremessados.

A comitiva do Primeiro-Ministro, mesmo depois de ter conhecimento do acidente que vitimou as quatro crianças, não parou tendo os menores sido socorridos por terceiros. Mesmo com o grito de pedido de socorro de outras pessoas que seguiam no mesmo veículo, propriedade de um empresário daquele distrito, optou-se por não parar e nem dar assistência às referidas pessoas.

Segundo soube a nossa reportagem no terreno, nem o partido Frelimo e, muito menos, o dono da viatura se preocuparam em assistir às vitimas. Neste momento, alguns parentes das crianças prepararam-se para pedir esclarecimento junto do partido. O mais caricato  é que o assunto das referidas crianças, até ontem (domingo) ainda não teve registo no Comando Distrital de Nacala-Porto.

Campanha eleitoral?

O Primeiro-Ministro esteve, entre sexta-feira e sábado, no distrito de Nacala-Porto com o objectivo de se inteirar das actividades do governo do distrito e do município, além de trabalhos ligados ao partido Frelimo. Mas o que se assistiu em Nacala-Porto não foi mais de uma campanha eleitoral.

Aliás, Aires Ali visitou o bairro de Naherengue onde apelou a população a não escolher outras formações políticas que não seja a Frelimo. “Não se esqueçam de votar no partido Frelimo”, disse.

Naquele comício popular o ponto de ordem era o décimo Congresso do partido Frelimo, tendo-se aproveitado a ocasião para pedir aos empresários locais no sentido de contribuírem em valores monetários.

No encontro com os agentes económicos, membros do partido, funcionários públicos e simpatizantes, o peditório tinha um carácter obrigatório, ou seja, estes ficaram a saber que é obrigatório contribuírem para o congresso.

Nota Página Global

A dar crédito ao A Verdade, sem contemplações: O “senhor” da foto em cima, Ali, PM moçambicano, sujeito detentor de uma insensibilidade atroz, como consta na notícia, não é um homem mas sim um monstro – daqueles que surgem em pesadelos e de que só nos livramos quando acordamos. Desejamos que os moçambicanos acordem depressa para se livrarem de tal monstro. Aliás, minimamente decente seria Guebuza demitir tal monstruosidade que goza de mordomias e ocupa indevidamente uma cadeira de um gabinete destinado a pessoas.

Leia mais sobre Moçambique - use os símbolos da barra lateral para se ligar aos países lusófonos pretendidos

Leia em SEPARATAS TEMPORÁRIAS (barra lateral junto a arquivo): Moçambique: Fecalismo a céu aberto- Uma realidade nos bairros periféricos de Nampula

Moçambique: Vereador do Conselho Municipal da Beira acusado de desvio de fundos




Obedias Simango conhecerá sentença próximo 25 de Abril

A 1ª secção do Tribunal Judicial da Cidade, na Beira, apresenta no dia 25 de Abril a sentença do caso de desvio de mais de 150 mil meticais, que envolve o vereador do Conselho Municipal para área da Indústria, Comércio e Turismo, António Obedias Simango. A leitura da referida decisão irá marcar o fim do processo que se arrasta desde 2008, altura em que Obedias Simango foi acusado pelo Ministério Público de ter ordenado o depósito, na sua conta pessoal no Standard Bank, do referido montante, supostamente doado pelo Conselho Municipal para a construção de dez armazéns.

Uma fonte do “Diário de Moçambique” disse ontem que a decisão do juiz que julga o caso, Francisco Sabino, foi tomada há dias num dia em que estava reservado para alegações finais, depois da audição dos declarantes, um processo que iniciou em Novembro do ano passado.

Para além do crime de desvio de fundos do Estado, Obedias Simango é acusado nos crimes de abuso de cargo ou funções e pagamento e remuneração indevidas de forma continuada.

Refira-se que no primeiro dia do processo de produção de provas, Obedias Simango foi acusado, em plena sessão de julgamento, de ter obrigado dez comerciantes (declarantes no processo) do mercado de Maquininio para prestarem declarações a seu favor.

Segundo publicamos nas nossas anteriores edições, citando um dos 13 declarantes, quando da marcação do primeiro julgamento, Simango interrompeu uma viagem a Nampula, com vista a manter contactos com os referidos comerciantes beneficiários dos mais de 150 mil meticais disponibilizados em material pelo CMB para se concluir a construção de dez armazéns.

Apesar de reconhecer ter havido falha ao ordenar que o reembolso do montante deveria ser feito na sua conta pessoal, o réu nos autos nunca admitiu ser culpado, razão pela qual no último dia do julgamento terá dito que estava a ser vítima de uma perseguição política.

O julgamento que em Abril encerra, com a leitura da sentença, segue-se a um outro havido no ano passado em que o réu foi o antigo director de Mercados e Feiras no Conselho Municipal (órgão subordinado à vereação da Indústria, Comércio e Turismo), Arnaldo Tivane.

Tivane, membro activo da Renamo, acabou sendo absolvido pelo Tribunal, depois de Obedias Simango, ora réu, o ter acusado de desvio de mais de 28 mil meticais na altura em que era director e ambos integrados no Conselho Municipal da Beira.

No processo de Simango, Tivane foi um dos 13 declarantes, notificados pelo Tribunal.

Uma enorme expectativa continua a reinar no seio da defesa, assim como de amigos e familiares do réu em torno da decisão final, que será tomada a 25 de Abril.

Assim, estará sentado no banco dos réus, ou mesmo em pé, como mandam as regras judiciais, para ouvir o seu destino pelas 10 horas do dia 25 de Abril, uma pessoa que actualmente ocupa a pasta de vereador para área de Industria, Comércio e Turismo no CMB.

Para além do juiz da causa, encontram-se a acompanhar este julgamento o advogado de defesa do réu, Francisco Eliseu de Sousa e o representante do Ministério Público, Isidoro Chaleca.

Timor-Leste: Mandato da missão da ONU prolongado até final de 2012



PDF - Lusa

Nova Iorque, 23 fev (Lusa) - O Conselho de Segurança da ONU aprovou hoje unanimemente a extensão do mandato da missão em Timor-Leste (UNMIT), até final de 2012.

A resolução, tal como esperado, aprovada com votos favoráveis de todos os 15 países-membros, mantém no terreno a missão em Timor-Leste, cujo mandato terminava este mês, durante o período eleitoral e até à sua prevista extinção no final de dezembro de 2012, passando daí em diante a ONU a manter apenas uma presença humanitária.

A votação desta manhã nas Nações Unidas seguiu-se a um briefing, na tarde de quarta-feira, que contou com a presença da representante da ONU em Timor-Leste, Ameerah Haq, e do Presidente timorense, José Ramos-Horta.

Draf Violensia Bazeia Jeneru Sei Lori ba KM Hodi Aprova



Marta da Costa – Radio Liberdade

Radio, online - Sekretaria Estadu ba Promosaun Igualdade realize konsulta nasional daruak konaba draff Violensia Bazeia ba Jeneru sei lori ba Konselhu Ministru hodi hetan aprovasaun.

Draff violensia bazeia ba jeneru daruak ne’e halo diskusaun iha salaun Delta Nova Comoro, Dili, Kinta (23/2/).

Sekertaria Estadu ba Promosaun Igualdade (SEPI), Idelta Maria Rodrigues ba jornalista sira, diskusaun ne’e ho objektivu halo planu asaun ida ba tinan tolu, estratezia ida ne’ebe aborda Ministeriu hotu-hotu hanesan multi sektoral.

Tuir Idelta, iha tempu badak sei lori ba iha Sekertaria Estadu Konsselu de Ministru atu bele hetan aprovasaun final.

Idelta hatutan tan, agora dadauk SEPI defini area tolu, ida ba protesaun, ida ba promosaun no parte ikus ba Justisa formal ba legalidade.Diskusaun ne’e realija hetan suporta husi MDG Achievement Fund liu husi UNFPA.

Joana Soares husi Ministeriu Solidaridade Sosial ne’ebe partisipa mos iha segundu konsultasaun nasional ne’e haktuir katak partisipantes hotu ativu tebes hodi fo idea no sujestaun ba dezenvolve draff planu asaun nasional.


INL FO PRIORIDADES BA MIDIA PROMOVE TETUM



Acasio Pinto – Rádio Liberdade

Radio, online – Institutu Nasional Linguistik (INL) atu promove lina Tetum tuir padraun otografia fo prioridades liu ba media sira. Tamba ho media lais liu no ema bele akompanha lor-loron liu husi jornal, Radio, no Televizaun.

Diretor INL Nuno Gomes fo sai lia hirak ne’e liu husi workshop ne’ebe organiza husi Sekertairu Estadu Konselu Ministru ho jornalista nip editor, tamba 2012 hanesan tinan komunikasaun sosial, Kuarta, (22/2) iha otel exelsior resort, Pantai Kelapa.

Tuir Diretor ne’e Jornalista nia papel importante hodi tulun Lian Tetum ne’ebe INL produs sai ona padraun ba komunidades hotu iha nasaun ne’e.

“Ema hotu tenkiser estuda no hakarek lian Tetum ne’ebe produs ona husi INL, liu husi esforsu maka’as durante ne’e,”Nunos apela.

“Jornalista sira hakerek lia Tetum tuir padraun ortografiku Tetum, hau hanoin iha tinan rua mai ema hotu bele hakerek diak nee’ebe tuir INL nia,”dehan Nuno.

Lian hanesan meius komunikasaun entre ema ho ema. Lian importante tebes iha sosiedade. Lian ne’e hanesan buat konvesional (akordu) ema hotu tenki submete hodi hatene no halao tuir.

Nuno hatutan agora dadaun lian Tetum sei sabraut hela, tamba media seidauk uniforma hakerek Tetum ho diak no lao ida-deit. Ortogrfia ne’ebe iha ona, presiza halao hodi ema halao tuir.

Iha media balu komesa uza ortografia ho los. Iha jornalista balun komesa buka atu hatene hakerek Tetum. Ne’e pasu positivu diak tebes.

Lian hametin unidade nasional. Tamba iha nasaun ne’e iha etniku lingustiku barbarak. Ho lian Tetum akumula ema hotu sai ida deit.

Antes ne’e Prezidenti Parlamentu Nasional Fernando La Sama de Araujo husu ba INL atu koloka sira nia ema ba servisu hamutuk iha midia sira ia parte editor nian atu nune’e padronizadas tiha Tetum iha midia hotu. Ne’e dalan importante mak tenki halao.

Hatan ba asuntu ne’e Diretor INL ne’e dehan, rekomendasaun ne’e sai asuntu importante, maibe kestaun mak finanseiru, alende ne’e mos rekursu husi INL nian menus tebes atu koloka ba midia sira. Hare ba futuru INL tenta responde ba kestaun ne’e.


Timor-Leste: Candidatos às presidenciais vão receber 10 mil dólares cada um



MSE - Lusa

Díli, 23 fev (Lusa) - Os 13 candidatos às presidenciais de 17 de março em Timor-Leste vão receber, cada um, 10 mil dólares (7,5 mil euros) do Governo timorense para assegurar condições de igualdade, segundo um comunicado do Conselho de Ministros hoje divulgado.

Segundo o documento, a decisão foi tomada na reunião extraordinária do Conselho de Ministros do passado dia 16.

"O Conselho de Ministros concede o montante de dez mil dólares a cada um dos candidatos oficiais à primeira volta das eleições para a Presidência da República, no respeito pelo princípio de igualdade de oportunidades e tratamento", refere o documento.

O comunicado refere também que caso exista segunda volta das presidenciais aos dois candidatos que passarem será novamente atribuído o valor de 10 mil dólares.

Portugal vai precisar de novo resgate devido à recessão -- Nobel da Economia Robert Mundell



FV - Lusa

Macau, China, 23 fev (Lusa) - Portugal vai necessitar de novo resgate europeu devido à recessão, previu hoje o Nobel da Economia e também considerado "pai do euro", Robert Mundell, numa palestra em Macau.

"Penso que Portugal e alguns países vão necessitar de novo resgate por causa da recessão. A Europa está em abrandamento económico e a caminhar para uma recessão e estas coisas demoram normalmente entre dois a três trimestres", disse.

Ao enumerar as vulnerabilidades dos estados do sul - Portugal, Espanha, Itália - e Irlanda, o 'pai do euro' sustentou a teoria da recessão nos "crescimentos negativos" registados no último trimestre pela maioria dos países europeus.

Robert Mundell, advertiu, no entanto, que "desta vez não podem culpar o Banco Central Europeu (BCE) pelo colapso".

"Isso aconteceu no passado, quando o BCE tinha uma política muito restritiva, que mantinha o euro demasiado forte na Europa", alegou.

Robert Mundell não comentou as medidas tomadas pelo governo português, mas frisou a importância da gestão, nomeadamente ao nível da banca.

"É muito importante desempenhar a melhor gestão possível", disse.

ZECA AFONSO MORREU HÁ 25 ANOS



TSF, com foto de arquivo DN

Esta quinta-feira, passam 25 anos sobre a morte do cantor e compositor José Afonso, uma das maiores referências da música popular portuguesa e que se notabilizou por ter sido o autor da canção que foi a senha da Revolução do 25 de Abril, «Grândola, Vila Morena».

Falecido a 23 de Fevereiro de 1987, com 57 anos, Zeca Afonso, como também é conhecido, começou a sua carreira com a gravação de fados e baladas de Coimbra. Porém, viria a ser pela interpretação de canções, onde a mensagem era tão importante quanto a melodia, que ficaria a ser conhecido.

Ainda antes do 25 de Abril, gravou em Londres, Madrid e Paris, sempre tendo em atenção a realidade portuguesa, álbuns como «Traz Outro Amigo Também», «Cantigas do Maio», «Eu vou ser uma toupeira» e «Venham Mais Cinco».

Um mês antes da revolução, o cantor interpretou «Grândola, Vila Morena» no Coliseu de Lisboa, ao lado de Adriano Correia de Oliveira, Fernando Tordo e Manuel Freire.

Em 1983, já numa fase avançada da sua doença, regressou ao Coliseu de Lisboa para o seu último espectáculo. As homenagens multiplicaram-se e é condecorado com a Ordem da Liberdade.

Dois anos depois, Zeca Afonso edita o seu último disco, "Galinhas do Mato", no qual, devido ao estado da doença, não consegue interpretar todas as músicas previstas.

Actualmente, muitas das músicas de Zeca Afonso continuam a ser gravadas por diversos artistas portugueses e estrangeiros. O seu trabalho continua a ser reconhecido e apreciado. Eternizado.

*Um trabalho de Sara Edite Mendes

Letras de Zeca não caíram bem numa certa Esquerda, lembra historiadora

Isabel Pimentel recordou que antes do 25 de Abril existiam elementos da Esquerda que pretendiam que Zeca Afonso tivesse uma «linguagem directa que toda a gente entendesse».

A historiadora Irene Pimentel lembrou que o surrealismo de algumas letras de Zeca Afonso não caiu bem em alguns sectores da Esquerda, que preferiam mensagens mais panfletárias.

«Pouco antes do 25 de Abril, foi muito criticado por uma certa Esquerda, bastante mais radical, que dizia que não se percebia nada das músicas dele», recordou.

Ouvida pela TSF, esta autora de uma fotobiografia sobre José Afonso lembrou que estes elementos da Esquerda defendiam que um «cantor de intervenção e envolvido politicamente tinha que ter uma linguagem directa que toda a gente entendesse».

«Mesmo depois do 25 de Abril, o Zeca dizia sempre que a canção panfletária acabava por não ter efeito nenhum mesmo quando queria ser um panfleto e acabava por ter um efeito contrário pela sua má qualidade», explicou a historiadora, que qualificou Zeca Afonso como um «perfeccionista».

Rui Pato lembra Zeca como amigo distraído e de grande cultura

O actual director dos Hospitais de Coimbra e antigo guitarrista de Zeca recorda José Afonso como alguém «muito generoso, de grande cultura e de muita sensibilidade».

Rui Pato, actual director dos Hospitais da Universidade de Coimbra e guitarrista de Zeca entre 1961 e 1969, lembrou José Afonso como um amigo distraído e de grande cultura.

«Era um homem com muito bom humor, muito culto, muito amigo. Não conheço ninguém que tivesse apontado ao Zeca nessa altura algum defeito», explicou.

Ouvido pela TSF, Rui Pato recordou que alguns viam Zeca Afonso como alguém «muito exótico, outros achavam que ele era meio maluco, mas isso era porque era muito extravagante e muito distraído».

Contudo, o antigo guitarrista de José Afonso disse ainda que Zeca era «muito boa pessoa, muito generoso e de grande cultura e de muita sensibilidade», que o faziam ser uma «pessoa muito especial».


TSF em direto – Hoje (23) apresenta “Canções e Cidades de Zeca Afonso”, todo o dia.