Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

MORREU MONIZ PEREIRA... E O ZÉ GUSTAVO. A BANCA ESTÁ MORIBUNDA



Moniz Pereira faz presença nas manchetes da comunicação social portuguesa. Merece. O Zé Gustavo, que caiu do andaime, de uma altura de 6 andares, não é notícia. Também merecia mas… O Zé Gustavo foi operário da construção civil durante mais de trinta anos. Construiu prédios e casas para centenas ou talvez milhares de portugueses, sempre com retribuição miserável e, ainda por cima, sem o reconhecimento devido. É a vida. Esta vida porca e de valores incompreensíveis. Ou até mesmo compreensíveis se atentarmos na sociedade putrefacta em que sobrevivemos nesta vida em que abunda a porca miséria. Moniz e Zé Gustavo, RIP. Muito obrigado por terem existido e terem partilhado com tantos de nós a vossa sabedoria, a vossa mão-de-obra, produtora de abrigos, confortos e felicidades.

Outro assunto, que não vai encontrar aqui neste Expresso Curto do descendente de cristãos novos e diretor do Expresso, Martim Silva, (bem diz o meu companheiro do PG Carlos Tadeu que no Expresso Curto quase só escrevem os diretores, e tantos que são!). Adiante.

Anda por aí a constar que o Expresso “perdeu” os Papéis do Panamá… Algo assim. Afinal, pesquisando, concluímos que não. O Expresso afirma em comunicado de Abril ou Maio deste ano que só em 2017 é que vamos saber os nomes, por exemplo, dos do Saco Azul do BES. Os nomes de eventuais jornalistas comprados pelo Espírito Santo, em nome do pai e da desonestidade do Ricardo. Ricardo que continua bem na vida e os outros que se lixem. Ricardo que continua em liberdade, ao contrário dos que estão na cadeia por furtos de caracacá. Mas esses são os reles, os plebeus, os trabalhadores desempregados, etc. Os das elites são impunes… Pois.

Que a banca está moribunda? Natural. Vão lá aos paraísos da bagalhoça que o dinheirinho e outros valores estão lá todos. Que até o Deutsche Bank está mal na vida das “imparidades” e disto e daquilo… Pois. Mas os ricos estão mais ricos. Milagre? E os pobres estão mais pobres. Deus não está com eles, com os plebeus. Provavelmente também é banqueiro, por isso está com os seus… capangas. Banca moribunda significa que nos vão roubar ainda muito mais para entregar aos banqueiros.

Agnóstico. Pois. Quando se começa a pensar a sério é para o que dá.

Ainda sou do tempo em que não era assim tão fácil roubar bancos. Agora qualquer banqueiro facilmente rouba e nós pagamos. Que negócio tão lucrativo e recheado de impunidade!

Bom dia. Boa semana. Não é recomendável acordar com o traseiro destapado à segunda-feira. Pois. Vai ser uma semana tramada. O costume.

Vamos à boa peça do diretor Martim. Aplicou-se.

Mário Motta / PG

Bom dia, este é o seu Expresso Curto

Martim Silva – Expresso

Morreu o Sr. Atletismo

Bom dia,

Hoje é o primeiro dia de agosto. A data que em Portugal mais simboliza no nosso imaginário a partida para férias. A data da silly season na política.

Mas este 1 de agosto fica marcado pela notícia da morte, na última noite, de Mário Moniz Pereira, o Sr. Atletismo, o grande responsável pelo facto do meio-fundo e fundo em Portugal, seja em corta-mato, estrada ou pista, ter dado tantos e tantos títulos a Portugal. Ironicamente, uma morte que chega a poucos dias do início dos Jogos Olímpicos, a festa maior do desporto e do atletismo. A notícia foi avançada pelo site do seu clube de sempre: "O Sporting CP lamenta informar a morte do Professor Mário Moniz Pereira, com 95 anos, pelo qual está de luto. O Professor Mário Moniz Pereira é o símbolo máximo do ecletismo do Sporting CP e desporto nacional".

Muito se escreveu já e mais se vai escrever sobre o assunto. O meu grande destaque é para este texto, publicado no Expresso já vai para 16 anos, e que traça um perfil do treinador de atletismo e compositor (escreveu para Carlos do Carmo e Maria da Fé, por exemplo): «Levar um atleta a tornar-se campeão europeu, mundial ou olímpico é inexplicável. É como a música. Começa-se com uns acordes ao piano e acabamos a ver uma orquestra a tocar o que fizemos. É como o nascimento de um filho».

As reações à morte de Moniz Pereira têm vindo de todo o lado e hoje devem continuar a surgir nos media nacionais. Nos jornais, são hoje os desportivos a dar maior destaque à notícia, que aparece discreta nas capas dos jornais generalistas.

Agitada, muito agitada, continua a situação na banca nacional.

Ontem mesmo foram conhecidos os resultados do Novo Banconeste primeiro semestre. E as contas mostram um prejuízo de 362 milhões de euros, um aumento de mais de 100 milhões face ao ano passado.

Nem a brincar, hoje ‘entra ao serviço’ na presidência do banco António Ramalho, que substitui Stock da Cunha no lugar. E já se sabe que o novo modelo de governação vai fazer com que o Novo Banco passe a ter um chairman.

O Público dá hoje destaque à situação do banco que restou do colapso do Espírito Santo, dizendo na primeira página que “Haitong propôs ao Banco de Portugal solução para Novo Banco à margem do concurso público”. E acrescenta: “José Maria Ricciardi, presidente do Banco Haitong (antigo BESI), informou o Fundo de Resolução de que este banco, associado a outros investidores, pode avançar com oferta de capitalização e de aquisição parcial do Novo Banco”.

Ainda na banca nacional, e ainda com chineses à mistura, depois danotícia de sábado dando conta da vontade da Fosun de adquirir até 30 por cento do BCP, o Jornal de Negócios titula hoje na capa que “Está feito: chineses vão mandar no BCP - Fosun disposta a gastar 500 milhões para ficar a maior accionista do banco”.

E como não há duas sem três, depois de falarmos do BCP e do Novo Banco, agora é a vez da Caixa Geral de Depósitos.

Ainda sobre o processo de recapitalização, Passos afirmou ontemesperar que o montante não venha a ensombrar as contas do défice.

No Expresso semanal, o tema CGD teve grande destaque. Com três notas principais: este trabalho sobre a nova administração e quem são os nomes que vão mandar no banco público. Esta notícia que mostra como o governo e as autoridades nacionais estão confiantes no ok das autoridades internacionais ao plano de recapitalização da Caixa. E ainda esta, que sublinha como mesmo com o ok ao plano, há muitas críticas e reparos sobre a nova equipa da Caixa.

Finalmente, o Banco Popular e o Novo Banco pediram a insolvência da Ongoing.

OUTRAS NOTÍCIAS

CÁ DENTRO,

A invasão da pista do aeroporto de Lisboa por cinco argelinos foi uma das notícias do fim de semana. Os homens iam num voo para Cabo Verde, e aproveitaram a escala em Lisboa para, ao que parece, tentarem uma entrada ilegal no espaço europeu. A situação já serviupara, numa das suas raras aparições públicas, a ministra da Administração Interna vir garantir que o caso nada teve que ver com atos de terrorismo nem nada que se pareça.

Em tempo de verão e de férias, e no dia em que entram em vigordescontos em algumas portagens nas antigas SCUT, eis algunsconselhos de segurança bem úteis deixados pela nossa polícia, como o de que colocar fotos das suas férias nas redes sociais pode não ser assim grande ideia.

Aqui pode perceber melhor quais são os destinos de férias preferidos dos portugueses. E aqui deixamos sugestões de boas apps para descarregar se for viajar e quiser deixar os mais pequenos bem distraídos no banco de trás enquanto conduz o carro.

Lembra-se daquele vídeo viral que mostrava um adepto da seleção francesa a ser consolado por um menino vestido com a camisola da seleção nacional? Pois a convite do Turismo de Portugal, os dois vieram ao nosso país.

Ainda à volta da seleção e do Euro, estes dados mostram como o feito da equipa de Ronaldo e Fernando Santos está a trazer mais turistas ao nosso país (e, já agora, à Islândia).

Luís Onofre é o responsável por uma marca de sapatos de luxo em Portugal. E agora este criador propõe-se… aumentar 3 cêntimetros os seus clientes.

Na edição de agosto, a revista Exame olha para os mais ricos de Portugal. No topo da lista continua Américo Amorim, o rei da cortiça. Aqui pode ler o essencial de uma entrevista concedida em 2013 e que agora republicamos.

Da edição desta semana do Expresso é a entrevista com o economista Erik Reinert, em que se mostra muito crítico com o Euro, dizendo que só a Alemanha lucra com a moeda única.

Também desta edição do Expresso, destaco esta entrevista sobre o drama e o horror da mutilação genital feminina.

LÁ FORA,

O Papa Francisco encerrou as jornadas mundiais da juventude, que este ano decorreram na Polónia, e aproveitou para anunciar que as próximas serão no Panamá, em 2019.

Nos EUA, as datas para os quatro debates presidenciais entre Hillary e Trump já são conhecidas e … já estão a dar polémica. O primeiro deles será no meu dia de aniversário.

E este fim de semana um tiroteio no Texas fez várias vítimas.

No Japão, uma mulher foi eleita pela primeira vez governadora de Tóquio.

Quase três mil pessoas morreram vítimas dos ataques aéreos russos na Síria.

O Financial Times noticia um estudo que alerta para o risco de utilização de drones como hackers.

DESPORTO

Ontem foi dia de subida à Senhora da Graça na Volta a Portugal em bicicleta e o primeiro a chegar foi o espanhol Gustavo Veloso, o vencedor da prova nacional nos dois últimos anos.

Benfica e Porto estiveram ontem em ação, nos últimos ensaios antes de a época começar a sério. Os encarnados perderam em Lyon por três a dois, enquanto os portistas foram a Guimarães ganhar por dois a zero (com mais dois golos de André Silva, que deve estar a um passinho de ser chamado à seleção nacional).

E o Brasil levou a melhor sobre Portugal no Mundialito de futebol de praia.

Nas transferências, o benfiquista Sílvio vai jogar para os ingleses doWolverhampton.

E na Fórmula 1, o britânico Lewis Hamilton venceu na Alemanha o seu quarto grande prémio seguido, engrossando o favoritismo para a vitória no Mundial.

FRASES

“Não há político que tenha coragem para falar a verdade e contar tudo aos portugueses”, Miguel Sousa Tavares, em entrevista ao Diário de Notícias

“O espaço crítico à esquerda do governo não pode desaparecer”,Carvalho da Silva, ex-líder da CGTP, ao i

O QUE ANDO A LER

A propósito dos Jogos Olímpicos, ou melhor, a propósito do Rio de Janeiro nas vésperas de começarem os Jogos Olímpicos (a cerimónia de abertura está marcada para as onze da noite da próxima sexta-feira, hora de Lisboa), vale a pena ler este texto que foi capa da Revista do Expresso “Rio apesar de você”.

Imperdível é este texto de Henrique Monteiro, que alia cultura e humor, a propósito do uso de vernáculo e palavrões: “Este texto é do pénis ou, se preferirem, do órgão reprodutor masculino, porque é um texto de certa cultura sobre palavras escondidas que tendem a ficar vulgares ou ordinárias depois de os jornais darem relevo de título a palavrões utilizados a propósito do Campeonato da Europa de Futebol”. Vá ler.

Duas longas entrevistas, bem diferentes, merecem um olhar atento.

A de Teodora Cardoso, economista do Banco de Portugal e presidente do Conselho de Finanças Públicas, aqui.

E a de Fernando Gomes, o presidente da Federação Portuguesa de Futebol, que conseguiu um inédito Europeu para Portugal, aqui.


Antes de terminar, três sugestões de bem interessantes livros de história:

"Europa, a luta pela supremacia - de 1453 aos nossos dias", de Brendan Simms, das Edições 70

"Reinos desaparecidos", de Norman Davies, igualmente das Edições 70

"Guerra, para que serve?", de Ian Morris, da Bertrand Editora.

Tenha uma boa segunda-feira.

Sem comentários: