sábado, 6 de agosto de 2016

Moçambique está preso a uma tradição de administração centralizada - historiador



O historiador alemão radicado em Moçambique Gerhard Liesegang defende que o país africano está refém da tradição de um modelo de governação centralizado, apontando a falta de vontade política como o principal problema nas negociações para a paz.

"Estamos presos a uma tradição de administração centralizada em Moçambique", disse à Lusa Gerhard Liesegang, considerando que o modelo de administração atual não respeita as novas dinâmicas socais e beneficia a elite no poder.

O pesquisador alemão entende que a causa da crise política em Moçambique está na incapacidade de ceder entre as partes, Governo e Resistência Nacional Moçambicana (Renamo) e alerta para as consequências da intensificação das atuais confrontações militares.

Lusa

Sem comentários: