quarta-feira, 6 de junho de 2012

Nuno Melo lidera observadores do Parlamento Europeu para eleição em Timor

PARTILHAR


Público – Lusa

A delegação de observadores do Parlamento Europeu às eleições legislativas de Timor-Leste, marcadas para 7 de Julho, será chefiada pelo eurodeputado do CDS-PP Nuno Melo, que espera ver a confirmação da consolidação do processo democrático do país.

A eleição de Nuno Melo, por unanimidade, como chefe da delegação de observadores do Parlamento Europeu às legislativas de Timor-Leste decorreu hoje.

A delegação é também integrada pela eurodeputada do PS Ana Gomes.

“O Parlamento Europeu está muito atento ao processo democrático em Timor. De resto, o peso da delegação de observadores demonstra-o porque é integrada por deputados de vários países, designadamente de Espanha e de Portugal, e muitos deles com grande peso no Parlamento Europeu”, disse à Agência Lusa Nuno Melo.

Segundo o eurodeputado do CDS-PP, esta eleição “não será indiferente ao facto de Timor ser um país também de língua oficial portuguesa e de esta ligação tão forte entre Portugal e Timor se manter desde sempre e designadamente desde a declaração da independência”.

“Espero a confirmação evidente, no plano político e no plano institucional, da consolidação de Timor como um estado democrático. Timor tem dado grandes lições ao mundo desse ponto de vista. Espero que também nestas eleições, como nas anteriores que foram há cerca de um mês, ver a confirmação da consolidação deste processo democrático e das instituições democráticas do país”, disse.

A delegação - que integra ainda os eurodeputados espanhóis Agustin Diaz de Mera, Juan López Aguilar e Ana Miranda Greens, a dinamarquesa Anna Rosbach e o romeno Csaba Sógor - parte para Timor-Leste a 4 de Julho.

A campanha eleitoral para as eleições legislativas de 7 de Julho arrancou terça-feira, concorrendo dezoitos partidos e três coligações.


Opinião Página Global

Pelo dito na notícia parece que uns quantos observadores foram escolhidos a dedo e até têm simpatias declaradas que sim ou não podem significar fechar os olhos a irregularidades. Não é a primeira vez. Nuno Melo, sabemos, um homem de direita, à direita, assimilado com o estado explorador e ao serviço de exploradores, que desejam global, onde caminham a par com a corrupção, que é o caso de Timor-Leste ou de Portugal, e outros. Ana Gomes, declarada amiga de Xanana Gusmão, da sua família e amiga de amigos CNRT e outros que são apontados como não recomendáveis... Isto é só dizer, assim, ao de leve. Fará algum destes "observadores" as devidas observações por os votos serem em troca de arroz? Não em todos, mas em casos. Vão os observadores passear? Tudo como antes, com quartel em Abrantes? - tal reza o ditado português. Era bom que não existissem dúvidas, mas assim sem decoro de quem os nomeia e sem o decoro principalmente de Ana... Independentemente da sua provavel honestidade. E os outros observadores vão na mesma linha? Não sabemos. Mas dá para não confiar. É quase sempre a mesma coisa... E as irregularidades ali debaixo do nariz... Bom passeio, senhores e senhoras. Vai vencer o CNRT? Claro que dará jeito à máfia global que pactua com a corrupção e com os roubos descarados aos povos. Pois. Então observem, enquanto muitos de nós observamos que já nem têm qualquer espécie de vergonha ao nomear observadores que podem não ser justos, corretos, imparciais. Sempre há simpatias e amizades, não? (Redação PG - AV)

PARTILHAR

Author: verified_user

0 comentários: